[Resenha] Contra Todas as Probabilidades do Amor - Rebekah Crane (Faro Editorial)


Sobre a obra

Sejam bem-vindos ao acampamento Pádua. Um retiro de verão para adolescentes problemáticos.

Mas não se tratam de problemas comuns, como não querer estudar, mentir ou colar na prova. Não! Estamos falando de problemas reais. Alguns deles tão grandes, tão sérios, que até um adulto desmoronaria sob o peso deles.

No acampamento, Zander, uma garota enviada pelos pais contra a sua vontade, encontra uma série de adolescentes na mesma situação, e com três deles ela estabelece uma relação de amizade — Grover, Alex e Cassie. Todos os quatro são tão diferentes quanto as pessoas podem ser, mas têm algo em comum — eles estão quebrados por dentro.

Em meio às sessões de grupo e, à medida em que o verão dá as caras, os quatro revelam seus trágicos segredos. Zander encontra-se atraída pelos encantos de Grover, e então começa a se perguntar, depois de muito tempo, se pode apostar em ser feliz novamente.

Mas, antes, ela precisa lidar abertamente com seus problemas, para poder juntar seus pedaços e reconstruir sua vida.

Opinião pessoal

Ler CONTRA TODAS AS PROBABILIDADES DO AMOR foi uma experiência única e memorável.

Afirmo isso tendo em mente que, de uma história simples, um cenário pacífico e personagens problemáticos, a autora criou uma história intensa que cria uma conexão entre o leitor e a obra.

Inicialmente eu achei que seria um livro ao estilo "autoajuda", um gênero que não é o meu favorito, mas como a história aborda o aspectos narrativo/romântico, resolvi arriscar - e essa foi a melhor escolha literária que fiz até este momento em 2018.

A personagem principal, Zander, é uma incógnita desde a primeira página. Ela aparece como uma garota que foi "obrigada" a ir para o acampamento, sem demonstrar uma real necessidade de mudança em sua vida. Mas com o desenvolver da leitura entendemos que sua aparência externa esconde diversos rancores e pesares internos que estão atrapalhando sua vida de continuar em frente.

E é a experiência no acampamento que vai revelar isso.

Quando é forçada à conviver nessa sociedade, Zander passa a se arriscar e tentar experiências diferentes - e até a fazer coisas que a tornem melhor - como manter uma amizade com Cassie, uma jovem confusa e rabugenta que tende a afastar as pessoas.

Com a ajuda de Grover ela percebe que sua vida é mais do que momentos difíceis e lembranças tristes, e o que realmente importa é a possibilidade de viver o momento presente - afinal o tempo é muito passageiro para nos preocuparmos com o futuro.

Como uma narrativa leve e descontraída, o livro vai ganhando o coração dos leitores, fazendo com que riam, chorem e vibrem com cada conquista dentro do acampamento.

A autora usou um aspecto muito interessante para introduzir cada um dos capítulos, utilizando as cartas que são enviadas pelos campistas para suas famílias como uma "chamada" para o que vai acontecer, despertando o interesse e a curiosidade pelos acontecimentos.

No final da obra aprendemos muito com cada um dos personagens, suas lutas e desafios e o poder de compartilhar nossa jornada a fim de sermos mais fortes.

Título Nacional: Contra todas as probabilidades do amor
Título Original: The Odds of Loving Grover Cleveland
Autora: Rebekah Crane
Editora: Faro Editorial
Ano: 2018
Especificações:240 páginas
ISBN: 978859581010-5
Avaliação: ★★★★★

* Livro cortesia da Faro Editorial

Sobre a autora

Rebekah Crane é autora de três outros romances ('Playing Nice', 'Aspen' e 'The Upside of Falling Down'). Ela encontrou paixão pela literatura enquanto estudava educação secundária na Universidade de Ohio.

Depois de ter dois filhos e ensinar em seis cidades diferentes, Rebekah finalmente se instalou no sopé das Montanhas Rochosas para se dedicar a escrever romances e roteiros.

Um comentário:

  1. Este deve ser um livrinho fofo de se ler, mas com uma carga de sentimentos. Só de olhar a capa já da vontade de ler, lendo a resenha fiquei com vontade de te-lo agora nas minhas mãos.
    Viver o agora é algo que muitas das vezes não fazemos ou não percebemos.
    Beijos, Jady

    Garota, Era uma vez
    http://garotaeraumavez.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir