Qual o futuro de As Crônicas de Nárnia na Netflix?


Nessa semana foi anunciado que a Netflix comprou os direitos de adaptação no formato de série da coletânea de As Crônicas de Nárnia, do autor C. S. Lewis. Essa é a primeira vez que uma única empresa compra os direitos dos sete livros que compõem a saga.

Essa novidade cria uma pergunta muito pertinente: como 'readaptar' um conteúdo que já contou com três filmes de grande reconhecimento do público (além de outras produções ao longo dos últimos anos) e garantir a satisfação e audiência?

Naturalmente presumimos que a série já têm fãs fieis e que qualquer nova produção relacionada deve atrair uma audiência considerável – a exemplo de produções como Crepúsculo e Jogos Vorazes –, mas temos que levar em conta que o modelo de readaptação deu mais certo com produções que tiveram um fracasso em seu primeiro lançamento, como Shadow Hunters, A Fantástica Fábrica de Chocolates e Desventuras em Série – fiascos em bilheterias e/ou crítica.

Paralelamente temos também um fenômeno que surgiu com a popularização das distopias: a perda de interesse dos fãs diante de diversas adaptações. Isso aconteceu em grandes lançamentos, como Divergente – que teve seu quarto filme cancelado diante do fracasso da "quebra" do último livro em dois – e Percy Jackson e Os Olimpianos – que foi muito bem recebido em seu primeiro filme, o Ladrão de Raios, e fracassou em sua segunda produção, O Mar de Monstros – este último também confirmado como futura readaptação pelo serviço de streaming.

Diante desses casos, temos muito a nos perguntar sobre como proceder em relação  As Crônicas de Nárnia, investindo em um narrativa que convença o espectador e impeça que a produção caia em um limbo.

Acredito que o maior desafio da Netflix será escolher atores que criem uma identidade com os personagens e permitam deixar de lado as interpretações de William Moseley (Pedro), Georgie Henley (Lúcia), Skandar Keynes (Edmundo) e Anna Popplewell (Suzanna), ainda fortemente presentes na mente dos fãs.

Olhando pelo lado positivo – e torcendo por bons resultados – a novidade é a chance de títulos como O Sobrinho do Mago, que conta a criação de Nárnia, e O Cavalo e Seu Menino, que aborda a vida dos irmãos Pevensie como reis adultos de Nárnia, cheguem às telas (de TV ou Cinema).

Texto por Jessica Correa

Nenhum comentário