Header Ads

[RESENHA] E Viveram Felizes para sempre – Julia Quinn (Editora Arqueiro)

Olá pessoal,

Happy New Year!!

E já vamos começando bem o ano com resenha nova da Julia Quinn (como ela é maravilhosa *-*)!

Vamos falar um pouco sobre E VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE, o nono livro da série Os Bridgertons. Esta edição especial traz os epílogos adicionais de cada um dos oito livros, contando algo importante que ficou em suspenso nas histórias – e um encantador conto inédito sobre Violet Bridgerton, a matriarca da família.

Na obra conheceremos o conteúdo das cartas deixadas para Simon Basset, O Duque de Hastings, por seu pai; o final feliz de Posy; a revelação dos segredos de Penélope a Eloise; e a busca pelos diamantes de Hyacinth – temas que todos os leitores mais queriam saber um pouco mais.

Confiram:


Sobre a autora

Julia Quinn é o pseudônimo de Julie Pottinger, uma reconhecida escritora americana que iniciou sua carreira escrevendo como um hobbie durante os estudos para ingressar na Faculdade de Medicina, na Yale School of Medicine.

Desde a juventude Julie já escrevia romances e chegou a terminar Sweet Dreams, mas a obra não foi bem recebida pelas editoras. A paixão pela escrita persistiu ao fracasso inicial e logo recebeu a oportunidade de publicar Splendid e Dancing At Midnight, abrindo as portas para que a autora mergulhasse no universo literário, recriando o século XIV com graça e bom humor.

Com o passar dos anos seus livros já atingiram a marca de 8 milhões de exemplares vendidos, em 26 idiomas, sendo 3,5 milhões da série Os Bridgertons, sendo a autora mais jovem a entrar para o Romance Writers of America’s Hall of Fame, a Galeria da Fama dos Escritores Românticos dos Estados Unidos.

Atualmente Julia mora com a família no Noroeste Pacífico.
Opinião pessoal

É sempre bom retornar ao universo dos Bridgertons, minha família favorita do século XIX, e a proposta de E VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE é totalmente inusitada, pois os leitores não entram em contato com novas história, mas sim com aspectos que todos gostariam de saber, acabando com a curiosidade e ansiedade de muitos.

Realmente fiquei encantada com a iniciativa da autora e sua coragem para dar um novo “fim” as histórias – sejamos sinceros, não é fácil manter os leitores por oito livros seguidos e ainda deixar o “gostinho de quero mais”.

Algumas das histórias são surpreendentes, outras tratam de uma passagem na vida do casal. Particularmente me encantei com histórias que nem imaginaria, digo isso, pois sou super fã de Simon e Daphne, mas a felicidade deles é tão previsível que o epilogo não acrescentou muito a O Duque e Eu como um todo.

Em contrapartida, o epilogo de Um Perfeito Cavalheiro foi simplesmente “perfeito”. Não imaginava que me encantaria tanto com a história de Posy e sua batalha em busca da felicidade – ela já sofreu tanto que merece o melhor!

Em Os Segredos de Colin Bridgerton, meu irmão favorito volta com a corda toda (e a fome também). Só percebi como esta com saudades dele e de Penélope após ler o conto - para ser sincera, também estou com saudades de Lady Whistledown e seu humor ácido.


Em Para Sir Phillip com Amor, reencontramos com Eloise e conhecemos um pouco de seu relacionamento com os enteados, Amanda e Oliver – lembram-se daqueles pestinhas??. O epílogo é narrado por Amanda e vem explicar o sentimento de confusão da infância e a mudança que a madrasta trouxe para suas vidas.

Um dos trechos mais sofridos da obra é o de Francesca em O Conde Enfeitiçado. A Bridgerton mais diferente da família já sofreu com a perda do marido, mas encontrou a felicidade em Michael. Agora ela busca encher a casa com a alegria de uma criança, mas isso não é não fácil quanto parece.



O Beijo Inesquecível nos relembra a forte personalidade de Hyacinth e seu ampliado - e já conhecido - gênio impetuoso. O que não imaginaríamos é que ela teria uma filha exatamente como ela, e que - sem querer - a jovem se colocaria no caminho da mãe na busca pelas jóias. No epílogo, Hyacinth terá que usar toda sua determinação e paciência nessa busca e aguardar a boa vontade da filha.

Foi muito bom rever Gregory e Lucy na continuação de A Caminho do Altar. O epílogo traz a perfeição do casamento do mais novo dos Bridgertons e como a última gravidez de Lucy pode acabar com essa felicidade e desestabilizar toda a família.

A últimas páginas do livro trazem um conto realmente emocionante sobre a vida de Violet Ledger - destinada a se tornar a Viscondessa de Bridgerton - e como sua força, amor e dedicação a família estavam impregnados em seu coração desde o começo. Confesso que fiquei apaixonada, triste e envolvida por esse conto, pois é a primeira vez que conhecemos a matriarca como mulher e não somente como mãe.

E VIVERAM FELIZES PARA SEMPRE com certeza é uma leitura obrigatória para os fãs da autora, que vem para o Brasil ainda em 2017 *-*

4 comentários:

  1. Os Bridgertons são muito amorzinho!
    <3
    ~ Compulsivamente Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Super verdade Mari!
      Fiquei de coração partido com o fim (agora verdadeiro) da série!

      Beijinhos ;*

      Excluir
  2. Os Bridgertons são maravilhosos, só de saber que veremos pedacinhos deles nas Smythe-Smith já dá para matar a saudade. O do Gregory quase partiu meu coração. E o da Violet me deixou com aquele gostinho de "quero um livro todo dela"

    Beijos,
    Fran | Diário de uma Leitora Compulsiva

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Fran, a Violet merecia mesmo!

      Já estou com saudades da família, mas acho que tudo tem um começo e um fim. Os deles chegou e só tenho memórias boas *-*

      Beijinhos ;*

      Excluir

Tecnologia do Blogger.