Header Ads

[RESENHA] Mulher com Brânquias - Patricia Baikal

Olá pessoal,

Hoje trago para vocês a resenha de MULHER COM BRÂNQUIAS, um livro de suspense escrito pela autora brasileira Patricia Baikal.

A obra está concorrendo ao prêmio KIndle de leitura e já ocupou o cargo de mais vendidos da Amazon. Confiram:

Sobre a autora

Nascida em Campo Grande, Patricia Baikal foi criada em Uberlândia e atualmente mora em Brasília. Além de escritora, ela também é blogueira e graduada em Direito.

Seu primeiro livro, "Mariposa", é um suspense publicado de forma independente em 2015.

Sobre a obra

Rita, professora universitária, começa a ter visões de uma realidade paralela, como se estivesse o tempo todo mergulhada num aquário.

Em casa, no trabalho ou na rua, ela se vê rodeada por seres aquáticos e especialmente pelo "grande peixe", uma criatura fantasmagórica que a persegue, mas que ninguém mais enxerga.

Como se não bastasse, sua pele é tomada por escamas aos poucos, de forma dolorida e fantástica. Brânquias surgem em seu corpo, e isso pode significar o início ou o fim de uma jornada.

Opinião pessoal

Mulher com Brânquias é uma história ficcional que abre a mente do leitor para diversos questionamentos sobre o poder de nossa ações e como lidamos com as situações de nossa vida.

Rita inicialmente parece uma mulher comum, com problemas e sonhos comuns, mas ao ser perseguida por um peixe gigante, ela passa a questionar a própria sanidade e a influência de seu passado nas visões. Essa experiência faz com que a jovem comece a perceber o aparecimento de "escamas" em sua pele, principalmente em áreas sensíveis ou suscetíveis a machucados - como uma forma de autoproteção.

Após a trágica  morte de sua tia avó, Rita tem que fazer uma viagem ao interior de Minas Gerais para o enterro e passa a conhecer mais profundamente a história de sua família e uma possível "loucura" que persegue as gerações femininas.

Depois de viver uma situação de quase morte, ela percebe que seu corpo está passando por novas transformações que somente ela vê, mas que afetam seu convívio em sociedade. Ao lado de sua irmã e prima, Rita vai se afundar no passado e buscar uma forma de se libertar de seu "monstro" pessoal e sobreviver ao aniversário de 33 anos.

A autora se utiliza de vários recursos para a construção da obra, como (1) a aplicação da estrutura de conto literário - com elementos mitológicos e lendas que rondam a vida e a família da personagem - e (2) o destaque de um momento específico da vida de Rita deixando lado o que se passa com a personagem antes ou depois do acontecimento.

Outra característica da obra é a narrativa atemporal: por mais que tenhamos a marcação do tempo feita por meio de "dias", os fatos poderiam se passar em vários momentos históricos, pois a autora deixa de lado características que marcam a passagem de tempo, como revolução tecnológica ou grandes acontecimentos mundiais.

A narrativa acontece de forma invertida, onde primeiro conhecemos ao fato principal - o clímax da história - e depois somos apresentados a quem são os personagens e a própria Rita. Frequentemente me peguei perguntando "quem é essa pessoa e qual sua função na obra?" e receber as respostas dois ou três parágrafos na frente.

Outra marca bem forte foi o distanciamento de Rita em relação aos demais personagens. Entendemos que ela ama a irmã, o marido e a tia-avó, mas ela não expressa esses sentimentos em palavras ou ações, sempre se referindo aos familiares pelo primeiro nome, ao invés do grau de parentesco.

Esses recursos criam um ambiente de mistério que prometem envolver o leitor, possibilitando seus próprios questionamentos.

A obra é super recomendada para os fãs de mistério que buscam por produções inovadoras e de autoria nacional.

Título Nacional: Mulher com Brânquias
Autora: Patricia Baikal
Ano: 2017
Especificações: 186 páginas
Avaliação: ★★★★

Para adquirir o livro, clique aqui

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.