Header Ads

[RESENHA] Pecados no Inverno – Lisa Kleypas (Editora Arqueiro)



 “Nunca se recuse a trilhar um novo caminho. Nunca se sabe que aventuras o esperam”

Olá pessoal,

Hoje trazemos para vocês uma nova resenha de romances de época (acho que vocês já sabem que eu amooo isso!), a novela de Lisa Kleypas, PECADOS NO INVERNO*. A história foi lançada no mês de julho pela nossa parceria, a Editora Arqueiro, e é o terceiro livro da saga As Quatro Estações do Amor.

Conheçam essa divertida história, cheguei de amor, aventura e personalidade:


Sobre a autora

Lisa Kleypas é uma conceituada autora americana, referência em romances de época.
Ela estudou ciências políticas pela Wellesley College, período em que participou de concursos de beleza e foi eleita Miss Massachusetts, representando seu estado no Miss América.

Ela começou a escrever seus primeiros romances ainda na faculdade, tendo seu primeiro título publicado em 1987, Where Passion Leads, abrindo oportunidades no segmento literário e começando uma era de premiações.

Lisa acumula mais de onze sagas, além de títulos individuais, traduzidos para mais de 20 idiomas em todo o mundo. Ela também é reconhecida por premiações como RITA, pela Revista Times e pela América Awards Show.


Parabéns, criança. Não faz nem uma semana que estamos casados e você já está aprendendo a brigar.

Sobre a obra

Evangeline Jenner é uma bela e tímida jovem que está prestes a receber a herança de seu pai, eue está a beira da morte devido a tuberculose. Mas Evie não se importa com o dinheiro, tudo o que deseja é estar ao lado do pai em seus últimos dias. 

Porém isso só será possível se ela puder escapar da casa dos tios que a criaram e fugir de um casamento arranjado com o primo. Assim, ela decide fugir no meio da noite para a casa do devasso lorde St. Vincent e lhe propõe casamento em troca de poder cuidar do pai. 

Para um aristocrata que precisa de dinheiro, essa é uma excelente proposta. Afinal, é difícil conquistar uma moça rica e solteira quando se tem a reputação de Sebastian.

Mas há uma condição na proposta de Evie: uma vez consumado o casamento, eles nunca mais dormirão juntos. Ela não será mais uma mulher descartada por ele com o coração partido. Se Sebastian realmente a deseja em sua cama, terá que se esforçar mais em sua sedução ou entregar seu coração pela primeira vez na vida. 


“Westcliff sempre escolhia o caminho mais eficiente e direto, enquanto Sebastian escolhia o sinuoso e mal mapeado que levava a todos os tipos de problemas antes de finalmente conduzir ao seu destino.”

Opinião pessoal

Sempre existe uma primeira vez para tudo.

E a minha primeira experiência com Lisa Kleypas foi apaixonante.

Já tinha ouvido falarem muito bem da autora e de suas obras, mas não tinha tido a oportunidade de ler. Graças a nossa linda parceria, a Editora Arqueiro, essa foi uma das leituras do mês de agosto.

Renomada autora de romances de época, Lisa consegue ter seu estilo próprio que se diferencia de outras colegas atuantes no segmento. Leve, divertida e envolvente, a narrativa embala os leitores, colocando-os na pele dos personagens, fazendo com que pensemos, nos divertimos e tramemos junto com Sebastian e Evie.

As quatro amigas (Annabelle, Lillian, Daisy e Evangeline), são exemplo de trabalho para os pais quando o assunto é casamento e Evangeline talvez seja uma das mais complicadas. Mesmo bela e herdeira de uma grande fortuna, ela não consegue pretendentes por causa da gagueira e da timidez.

O mais engraçado é que ao lado de Sebastian sua timidez some, dando lugar a uma mulher cheia de vida, personalidade e teimosa.

Para ele a moça seria uma porta de escape da pobreza total, mas no final das contas se torna uma surpresa agradável, fazendo com que um casamento de conveniência se torne a salvação e a saída para todos os problemas.

Ambos buscam por um lugar para chamar de lar, pois sofreram com perdas de familiares e uma sociedade que os julga pela aparência. O casal improvável começa a se envolver de uma forma tão intensa que nem eles acreditam, sendo atraídos pelas personalidades e paixão um do outro, o único problema é que Sebastian não consegue prometer fidelidade à esposa, que, por sua vez, se recusa a dormir com o marido até que ele consiga ter olhos somente para ela.

Esse impasse é aumentado após a morte do pai da moça, pois o casal herda o clube mais famoso para cavalheiros da cidade e tem que lidar com funcionários descontentes com as novas regras. Os funcionários que não se adéquam aos padrões de Sebastian são demitidos e resolvem montar um complô para destruir Evie, culpando a moça pela morte do pai e por herdar a governança do local.

Diversos atentados contra a vida da jovem só servem para unir o casal e mostrar que a vida longe um do outro, não vale a pena.

O tom de suspende e ansiedade ganha lugar na narrativa, temas um tanto incomuns para romances desse estilo, mas que demonstram os traços da escrita da autora, terminando a história com um final digno de romances conceituais, prendendo o leitor até a última página.

* Livro cortesia da Editora Arqueiro.

4 comentários:

  1. Me pareceu um livro delicioso de se ler… é legal quando a história nos prende e nos surpreende também! Acho que o envolvimento do casal, que aos poucos vão se entendendo de maneira tão intensa, deve ser um dos pontos altos da história! Nunca li nada da autora, mas fiquei curiosa! Beijos!
    Colorindo Nuvens

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Dai,

      Menina, a história é genial! Bem isso que você descreveu ;)
      Foi maravilhoso ler a história, pois a forma de escrever da autora me surpreeendeu e cativou!

      Simplesmente amei!

      Beijinhos ;*

      Excluir
  2. Nossa fiquei super curiosa para ler.
    Que resenha maravilhosa Jessica.
    Amei. Minha lista de livros para ler vai aumentar graça ao seu post.


    Rs

    Bjs
    http://www.larosablanca.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Re,

      Fico muito feliz por contribuir para sua lista (livros nunca são demais né) rs.

      Obrigada pela visita!

      Beijinhos;*

      Excluir

Tecnologia do Blogger.