Ads

Ads

Resenha | Rascal e Entrevista com a Autora


Quatro anos podem mudar tudo, ou não! 

Sobre o Livro 

Payton O’Nell nasceu e cresceu na reservada cidade de Roseroot, no interior de Illinois. A cidade além de pequena, é dividida ao meio, por causa de questões do passado, por causa desta divisão as pessoas acabam conhecendo quase todos de seu lado. O que apenas ajudou para que Payton acabasse sendo muito popular entre as fofoqueiras, que sempre estavam falando de suas incontáveis brigas com Craig Saint-Croix, o que fez com que suas mães fossem chamadas varias vezes a sala do diretor, além de incontáveis visitas um ao outro para se desculpar e até mesmo idas ao hospital. 

Após serem expulsos de seu baile de formatura, por brigarem, algo aconteceu entre os dois, mas devido a fofocas e coisas mal interpretadas, eles continuaram com raiva um do outro. 

Quatro anos se passaram e Payton está de volta à cidade, para lecionar em uma das escolas que tem do seu lado, mas não é apenas uma oportunidade de trabalho que ela encontra, Craig também está por perto, mais presente em sua vida do que ela imaginava, ele se tornou um integrante do clube de motoqueiros, que comanda o lado da cidade em que eles moram, mas Craig prometeu para si mesmo que não deixará passar o que Payton fez, mas será que as coisas serão como eram antes? 


Opinião pessoal 

Roseroot é uma cidade dividida por clubes de motoqueiros rivais, seus moradores acabam enfrentando diversas complicações por estarem em lados diferentes da cidade e é nesse cenário que Craig e Payton crescem, eles se conheceram por toda a vida e brigaram em todas as chances que tiveram. Quatro anos se passam e Payton está de volta à cidade, será que as coisas com Craig poderiam ser diferentes e eles poderiam esquecer todas as suas antigas desavenças? 

Rascal é o primeiro livro da autora Paula Peli que explora de uma forma diferente esse universo de motorcycle club, que costumam ser um dos temas mais abordados em livros do gênero New Adult.  

A história é focada na convivência entre Payton e Craig, na evolução pessoal de cada personagem entre o último ano do High School até o fim da faculdade. Diferente de algumas narrativas o Clube de Motoqueiros acaba sendo um coadjuvante na história do casal, como uma parte importante no desenvolvimento de Craig.  

Payton é uma personagem forte e impulsiva que conseguiu sair da sua pequena cidade para cursar faculdade, muita coisa mudou em sua vida durante os quatro anos que ela ficou fora da cidade junto com a sua melhor amiga, Anya. Ela secretamente sempre soube que seu destino seria voltar para a cidade, mas ela não esperava que Craig poderia continuar cruzando o seu caminho depois de tanto tempo sem se verem. 

Toda a história se passa na cidade fictícia Roseroot, alguns outros personagens importantes rondam a história, como a família, amigos e moradores dos dois lados da cidade. O clube Devil’s Hunter está passando por uma reformulação, já que possui um novo presidente, e isso acaba esquentando as coisas entre os membros do club e os cidadãos, o que acaba resultando em uma série de entraves para os personagens.  

É uma leitura rápida e leve, já que possui apenas 186 páginas, por isso todos os pequenos detalhes são importantes e alguns personagens podem ter mais relevância do que imaginamos. Assim é bom ficar atento a todo mundo que aparece, porque quem sabe, talvez essa pessoa é a chave de algo. 

A autora consegue te transportar para a pequena cidade fictícia que ela criou, você se sente dentro de uma dessas cidadezinhas no interior dos Estados Unidos com motoqueiros em frente a um bar velho. E no meio de todo esse cenário, existe um casal explosivo, que ao mesmo tempo se unem para ajudar seus amigos e amam o seu lado bagunçado de Roseroot. 

Será que Craig e Payton vão conseguir superar suas diferenças?  


Conversa com a autora 

Paula Peli é uma estudante de psicologia, tem 23 anos, paulista que começou a escrever aos 12 anos, passou pela fase das fanfics, foi amadurecendo a sua escrita com o tempo e agora está lançando o seu primeiro livro físico.  

Devido a leitura constante de livros traduzidos e brasileiros, Paula acabou conhecendo o mundo dos clubes de motoqueiros, o que ajudou na criação da história do Craig, seu personagem principal em Rascal. “Eu leio muitos livros estrangeiros, traduzidos ou não, e clube de motoqueiros é um assunto que eu gosto de ler sobre e pensava em escrever algo envolvendo um clube, então quando vieram as ideias sobre o Craig, Payton e as outras coisas da cidade, o clube já foi uma associação automática”, disse a autora.  

Seus personagens possuem características marcantes e uma personalidade forte, a autora explicou um pouco sobre Payton, “eu vejo a Payton como uma personagem muito determinada, ela gosta de ajudar as pessoas, não aceita certas coisas, o que fez com que ela estivesse sempre brigando com o Craig ao invés de abaixar a cabeça ou ignorar” e sobre seu par romântico, Craig, “eu posso dizer que o Craig tem uma revolta dentro de si, mas ele ama a família dele e é uma boa pessoa; assim como a Payton, ele não aceita certas coisas”.  

A autora explicou que no início da escrita ela não tinha uma ideia construída sobre a mensagem que gostaria de passar, junto a história ficcional, mas acabou escolhendo retratar alguns problemas sociais com as quais vivemos, como intolerância religiosa, diversos tipos de preconceitos e até a forma como alguns pais tentam controlar as escolhas dos próprios filhos.  

Um diferencial do livro é a cidade onde a história se passa, a autora criou um nome fictício para conseguir escrever sobre alguns temas com mais liberdade, sem ter que ficar presa a uma cidade que existe e ter que ser fiel ao local. “Roseroot é uma história meio doida, eu queria uma cidade pequena em Illinois, por causa de Chicago e do clima, mas seria impossível achar uma cidade que tivesse uma divisão tão explicita de lados, ainda mais com isso de lado melhor e um lado pior, então fiz algo meio the sims – é uma série de jogos eletrônicos de simulação de vida real - e criei minha própria cidade, eu tenho até o mapa dela desenhado (risos) e eu queria um bom nome para a cidade, que tivesse personalidade, então eu juntei o sobrenome de dois roqueiros, Axl Roses e James Root e nasceu Roseroot”, contou Paula.  

Quanto ao atual cenário brasileiros, em que diversas livrarias estão fechando, Paula comentou sobre os desafios de ser uma autora iniciantes nesse atual momento, “é difícil, tem toda a questão de editoras, que posso dizer com certeza que pouquíssimas aceitam um autor iniciante, eles querem apenas autores conhecidos, pessoas famosas (mesmo que o livro seja ruim, a pessoa é famosa, então vai vender) e livros de autores de fora do país. Ai, você consegue publicar o livro, mas tem um novo desafio, divulgar! Você não sabe por onde começar ou o que fazer e acaba se encontrando com um dos maiores desafios. Então, acho que os maiores desafios são publicar (conseguir uma editora, uma boa editora é mais difícil ainda) e divulgar a obra”. 

Quando conversamos sobre Rascal, Paula acabou contando sobre o universo de histórias em que o livro está inserido, ou seja, podemos esperar mais livros com algum membro da família “Saint-Croix”, que é a família do Craig, personagem do livro Rascal.  

Siga a autora no instagram: @paulapelibooks

Obs: Devemos e podemos divulgar, consumir e apoiar autoras brasileiras, sejam iniciantes, antigas ou famosas. Dentro do nosso país existe diversas autoras boas, sejam as que estão no wattpad, sejam as que já conseguem publicar na amazon e as que estão nas livrarias. Tira um tempinho para buscar por autoras brasileiras, você não vai se arrepender, tem muita história boa sendo escrita aqui.  


Título Original: Rascal – Uma história de Roseroot 
Autora: Paula Peli 
Editora: Chiado 
Ano: 2019 
Especificações: 186 páginas 
ISBN: 978-989-52-4827-8 
Avaliação: ★★★★ 

O Livro esta disponível para venda:


A autora fará uma tarde de autógrafo, informações na foto: 

*Texto por Ana Caroline Moraes

Nenhum comentário