[RESENHA] A Mulher na Janela - A. J. Finn (Editora Arqueiro)

Sobre o livro

Anna Fox mora sozinha na bela casa que um dia abrigou sua família feliz. Separada do marido e da filha e sofrendo de uma fobia que a mantém reclusa, ela passa os dias bebendo (muito) vinho, assistindo a filmes antigos, conversando com estranhos na internet e... espionando os vizinhos.

Quando os Russells – pai, mãe e o filho adolescente – se mudam para a casa do outro lado do parque, Anna fica obcecada por aquela família perfeita. Até que certa noite, bisbilhotando através de sua câmera, ela vê na casa deles algo que a deixa aterrorizada e faz seu mundo – e seus segredos chocantes – começar a ruir.

Mas será que o que testemunhou aconteceu mesmo? O que é realidade? O que é imaginação? Existe realmente alguém em perigo? E quem está no controle?

Opinião pessoal

A MULHER NA JANELA* é verdadeira obra de arte que brinca com a mente e psicológico dos leitores – de uma forma intensa e empolgante.

No livro somos apresentados a Anna, uma mulher inteligente e independente que passa a sofrer de Agorafobia, uma doença que impede que a pessoa sinta-se segura fora de sua casa. Essa condição dificulta e restringe a vida da personagem, impossibilitando que ela saia na rua ou mesmo aproveite um dia de sol no jardim.

Para fugir da rotina de "mesmice", Anna passa os dias bebendo, assistindo diferentes filmes, navegando na internet e observando seus vizinhos - um hobbie tanto invasivo, quanto perigoso.

É em uma dessas observações que Anna vê algo que não deveria: um crime de assassinato.

O problema é que ninguém acredita na suporta morte, afinal não existem indícios de corpo ou desaparecimento e Anna não tem ninguém que ateste sua sanidade: ela é uma mulher isolada, que vive sozinha, que bebe muito e que stalkeia os vizinhos.

Contra a polícia, os vizinhos e todos que acham que ela está tendo alucinações, Anna vai tentar provar que não está inventando o crime.

É nessa difícil tarefa que o leitor acompanha a jornada da personagem, que se utiliza apenas dos recursos que tem dentro de sua casa para tentar descobrir mais sobre a família Russell e sobre a vítima. Capítulo a capítulo, somos envolvidos pelas teorias de conspiração, loucura e ansiedade se abatem sobre ela.

O tempo no livro de passa de duas maneiras: a primeira de forma constante e dinâmica, principalmente voltada aos acontecimentos em "tempo real" da personagem e em um segundo momento, mais lento, quando ela trata do acidente que desencadeou a Agorafobia e sua relação com o marido e filha.

A. J. Finn inseriu na narrativa diversos elementos que fazem com que questionemos a credibilidade da personagem, seus objetivos, mentiras e segredos, esses que são extremamente essenciais para entendemos suas limitações e o desfecho da história.

O final de A MULHER NA JANELA é realmente surpreendente, fazendo com que o leitor fique na expectativa, torça, grite e também se sinta traído – de uma maneira muito positiva – pelos personagens.

Título Nacional: A Mulher Na Janela
Título Original: The Woman in the Window
Autor: A. J. Finn
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Especificações: 352 páginas
ISBN: 978-8580418323
Avaliação: ★★★★★

* Livro cortesia da Editora Arqueiro

Nenhum comentário