Header Ads

[RESENHA] O meu jeito certo de fazer tudo errado, Klara Castanho e Luiza Trigo (Editora Arqueiro)

"Você sabia que olhar para o céu é olhar para o passado"
 Olá pessoal,

Hoje vamos conversar sobre o novo livro das autoras brasileiras Klara Castanho e Luiza Trigo, O MEU JEITO CERTO DE FAZER TUDO ERRADO*. Produzido a quatro mão, a história vem contar aspectos do universo adolescente (e seus desafios) de uma forma descontraída e com muito ensinamento.

O projeto que nasceu para ser um programa de entrevistas idealizado por Klara, logo se tornou um livro com a contribuição de Luiza, e vem conquistando diversos leitores.

Conheçam a história:

Sobre as autoras

Klara Castanho é uma atriz brasileira, nascida na cidade de São Paulo, que iniciou sua carreira com apena 6 anos. Seu primeiro papel de destaque ainda na infância foi interpretando Rafaela na novela Viver a Vida da TV Globo. Na oportunidade, Klara atuou como a primeira vilã-mirim da teledramaturgia brasileira.

Já participou de diversas novelas, cinema (É Fada, inspirado no livro de Thalita Rebouças) e teatro (na peça Aprendiz de Feiticeiro).

Luiza Trigo, ou Luly, é uma escritora nascida no Rio de Janeiro. Formada em Cinema no Brasil, Luiza resolveu se mudar para Nova York para cursar Roteiro na New York Film Academy (NYFA).

Já trabalhou como assistente de produção e câmera em projetos audiovisuais e como assistente de direção em gravações de diversos DVDs musicais. Em 2008, produziu seu primeiro curta metragem, “Delito”, que foi selecionado para quatro festivais e ganhou o prêmio de Melhor Curta-Metragem do Festival Cinesul.

Iniciou sua carreira literária em 2012 com o lançamento de Carnaval (Rocco). Depois do primeiro título escreveu mais de cinco livros, entre eles Meus 15 Anos (que deve ser adaptado para o cinema ainda em 2017), Na Porta ao Lado, As Valentinas, A caixinha mágica e Uma canção pra você (Rocco). 
Sobre a obra

Giovana está de mudança de Campinas para São Paulo, mas o deveria ser um sonho se tornou um pesadelo quando Nana percebe que vai perder o convívio diário com seus primos, os únicos amigos que ela tem.

Cidade nova, casa nova, escola nova. Como lidar com tudo isso?

Depois de aceitar a realidade, Nana tenta se encaixar e fazer amigos. O problema é que o grupo que se aproxima dela são os populares da escola, que se envolvem com bebidas, festas, matar aulas e diversas confusões. Como Nana deve manter os amigos e não ferir suas opiniões de comportamentos?
“Querer ser outra pessoa é desperdiçar a pessoa que você é”


Opinião pessoal

O MEU JEITO CERTO DE FAZER TUDO ERRADO* é uma história leve e descontraída que retrata as dificuldades dos jovens e adolescentes em se encaixar no que é “desconhecido”, passando a ter novos hábitos, quebrar regras e ferir a ética para manter os amigos e se sentir parte no grupo.

Mesmo que o enredo não seja nada muito novo, trata do assunto em tom reflexivo, real e sincero, mostrando o que passa na cabeça de quem está sofrendo toda essa pressão.

Em muitos momentos Nana toma decisões erradas baseada no que vai sentir depois, esperando alegria e satisfação, mas normalmente só sente tristeza e arrependimento – por ter magoado seus pais ou se colocado em uma situação constrangedora.

Escrita a quadro mãos, a obra está bem alinhada, sendo detalhista e descritiva.

Para quem não mora na cidade de São Paulo, é possível ter uma experiência realista nos lugares e pontos turísticos que a personagem visita, despertando o turista que existe dentro de nós. Particularmente cheguei a buscar no Google rotas de ônibus entre o Parque do Ibirapuera e a Vila Mariana, algo que eu não conhecia.

O desenrolar da história é surpreendente, demonstrando o aprendizado em valorizar o que temos e enxergar a diferença entre interesse e amizade.

Título Nacional: O meu jeito certo de fazer tudo errado
Autora: Klara Castanho e Luiza Trigo
Editora: Arqueiro
Ano: 2017
Especificações: 384 páginas
ISBN: 9788580416510 
Avaliação: ★★★★

* Livro cortesia da Editora Arqueiro

4 comentários:

  1. Deve ser daqueles livros leves que amaria ler :)
    A resenha ficou otima !!
    Amei demais seu blog, parabens

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Camila,

      Que bom gostou *-*
      Agradeço a visita.

      beijinhos :*

      Excluir
  2. Ahim, que capa maravilhosa!!!
    Os autores acertaram em cheio, né. Muitos tentam internacionalizar os nomes e até mesmo a ambientação nos livros, o que pra mim é um tiro no pé!!

    Beijos!!!

    Literatura Estrangeira

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente as autoras foram bem fiéis a cidade de São Paulo e aos personagens. Acredito que essa foi a proposta e a seguiram perfeitamente.

      Mas existem outras situações onde internacionalizar a obra é a melhor estratégia (principalmente quando falamos de distopias).

      Beijinhos ;*

      Excluir

Tecnologia do Blogger.